NOTÍCIAS

Últimas notícias


NOTÍCIA EM DETALHE

Voz ao Diretor

“É uma Volta a Portugal que, apesar de ter um percurso equilibrado, faz cada vez mais apelo a etapas de montanha e de muita dificuldade. A competitividade da Volta é essencial e tem de estar intacta para manter os índices de popularidade. A organização faz tudo o que consegue para tornar este desporto, e em particular a Volta, num grande acontecimento mas, é óbvio que, a partir do dia 7 de agosto, o sucesso estará completamente entregue aos corredores e às opções técnicas de cada diretor desportivo.”

As etapas da 75ª Volta a Portugal Liberty Seguros antecipadas por Joaquim Gomes

Prólogo (CRE) 7 agosto
Lisboa - Lisboa (5 km)
“Apesar de curto, o prólogo coletivo no coração da cidade de Lisboa, entre o Rossio e os Restauradores, tem uma forte componente técnica que, ainda assim, não deverá traduzir significativas diferenças entre as principais formações e nos tempos que também são atribuídos individualmente aos corredores.”

1.ª Etapa 8 agosto
Bombarral - Aveiro (203,3 km)

“A mais longa etapa da Volta desenvolver-se-á num percurso maioritariamente plano proporcionando, até pelas excelentes estradas que vamos utilizar, um meio ótimo para um pelotão, ainda muito tenso, poder proporcionar inúmeras tentativas de fuga e, muito provavelmente, um grande sprint final.”

2.ª Etapa 9 agosto
Oliveira de Azeméis – Viana do Castelo (187,9 km)

“Esta será a etapa mais “urbana” da Volta. Apesar de estarmos ainda no início, é um percurso sem grandes dificuldades, em que o grande destaque vai mesmo para os cerca de 3 km da escalada final ao santuário de Sta. Luzia, em Viana do Castelo. Acredito que esta etapa ficará definitivamente marcada por banhos de multidão com as passagens em Vila Nova de Gaia, Valongo, Lordelo, Trofa, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Esposende e, claro, Viana do Castelo.”

3.ª Etapa 10 agosto
Trofa – Fafe (164,4 km)

“O Gerês vai, mais uma vez, fazer a ponte entre as, teoricamente, etapas fáceis e as de grande dificuldade. Depois de Sta. Luzia, a caravana vai, numa ligação muito movimentada, regressar à animada cidade de Fafe, com os principais protagonistas já com a cabeça na difícil etapa do dia seguinte para a Sra. da Graça.”

4.ª Etapa 11 agosto

Arouca – Mondim de Basto (Srª. da Graça) (181,4 km)

“A estreante vila de Arouca vai proporcionar-nos a partida de uma das mais belas e difíceis etapas da Volta 2013. Será um percurso estonteante até Mondim de Basto, levando os “trepadores” a assumir o comando da prova enquanto outros, alguns legítimos favoritos à partida, vão deixar de o ser ainda que não tenhamos chegado a meio da prova.”

5ª Etapa 12 agosto
Lousada – Oliveira do Bairro (177,3 km)

“O cansaço do pelotão será certamente o denominador comum neste dia. A jornada de repouso está perto, mas, ainda que haja um líder conceituado e com equipa motivada para o defender, a revolta dos desiludidos não dará tréguas até Oliveira do Bairro. É uma etapa de dificuldade média onde não se espera uma chegada em pelotão massivo.”

6.ª Etapa 14 agosto
Sertã – Castelo Branco (180 km)

“Após o merecido dia de descanso, em Oliveira do Bairro, surge a segunda fase de enorme dificuldade da prova. Ainda que esta ligação entre a Sertã e Castelo Branco seja de dificuldade média, e os velocistas voltem a ter a sua oportunidade, este dia poderá provocar algumas surpresas traduzidas em inesperadas alterações de rendimento, esperando-se, contudo, uma chegada ao sprint a Castelo Branco.”

7.ª Etapa 15 agosto
Termas de Monfortinho – Gouveia (166,3 km)

“Em conjunto com a chegada à Torre e com o contrarrelógio do penúltimo dia, esta etapa dará início à grande trilogia da Volta 2013. Com passagem nas Penhas da Saúde, Penhas Douradas e o final em Gouveia teremos o mote para os dias que se seguem! Não haverá tempo nem para “limpar armas” e só os eleitos, os predestinados à vitória, poderão brilhar.”

8.ª Etapa 16 agosto
Oliveira do Hospital – Seia (Torre) (166,3 km)

“Com duas montanhas de primeira categoria, às quais juntamos a escalada final à “Torre” de categoria especial, a etapa “Rainha” vai com certeza reduzir, a não mais de três corredores, aqueles que no contrarrelógio do dia seguinte poderão vencer a prova. O espetáculo será de altíssimo nível, com os inevitáveis abandonos a marcar este dia.”

9.ª Etapa (CRI) 17 agosto
Sabugal – Guarda (35,3 km)

“Este será o mesmo percurso que, em 2011, permitiu a Ricardo Mestre chegar à liderança da Volta! Este ano há condições semelhantes de corrida. O contrarrelógio é difícil e põe à prova os puros velocistas, já extremamente desgastados, contra os “não especialistas” nesta matéria mas que ainda podem ter condições físicas e anímicas para vencer. Com certeza que o homem mais forte da Volta 2013 estará encontrado após a chegada à Guarda.”

10ª Etapa 18 agosto
Viseu – Viseu (130 km)

“Numa etapa ineditamente curta, o realce vai mesmo para o circuito final, em Viseu, e uma muito provável chegada em pelotão compacto. Viseu consagrará os heróis desta 75ª Volta a Portugal Liberty Seguros.”




Partilhar
Anterior | Seguinte